quinta-feira, novembro 01, 2007

Das dicotomias da vida

A pessoa acorda cedo, pega o carro e vai dirigindo para o teste de auto-escola. Nao passa no teste. Volta pro trabalho dirigindo o carro novamente.

Surreal, nao? Soh mesmo sendo estrangeiro e morando nos EUA para passar por isso. Me senti muito ilegal!

Outra: poder dobrar para a direita em sinal vermelho*! Chega a me dar um treco na espinha, mas agora jah faco tranquila. Fiz isso durante o teste, soh para ver a cara da fiscal. E NAO foi por isso que rodei! Na verdade, rodei porque parei num sinal verde em Sao Francisco. Sim! Mas eh que aqui, no STOP, tem que parar mesmo. Nao que no Brasil nao tenha, mas a gente dah aquela olhada basica e vai... Aqui nao. E a fiscal do Schwarzenegger, que falava como se estivesse imitando ele no Exterminador do Futuro (soh pra me assustar), me colocou numa rua cheia de sinais de STOP. Quando chegou numa sinaleira verde, quem eh que disse que eu fui? Ah, ela pensa que bobo eh tonto?

Mas dia 13 de novembro, tento de novo. To rezando para nao pegar outro fiscal Schwarzenegger...

*Quando eu tinha uns 4 anos e morava em Sao Paulo, o meu colegio, o Cristo Rei - onde o Leao, jogador de futebol, estudou -, nos levou para aulas praticas infantis no DETRAN. "Contraventora" desde pequena, fui passar no sinal vermelho com o triciclo e eis que o policial me puxa pela rabo de cavalo. Nunca me esqueci dessa cena. Passar no sinal vermelho aqui nos USA, mesmo sendo legal, sempre me faz sentir uma culpa catolica lah no fundinho. Culpa catolica e do Cristo Rei. Culpa do Leao.

2 comentários:

Cássia disse...

O governador no detran... bom título, né? :-p

giuliano disse...

Carol. Ao ler o abre do seu texto eu lembrei do meu exame escrito pra tirar a carteira de motorista. Fui a pé ao local, pois ficava a uns 10 minutos da minha casa e eu não sabia dirigir. Óbvio! Ao terminar a prova, muitas pessoas que estavam na mesma sala pegaram os seus respectivos veículos e partiram. Sem o menor constrangimento ou preocupação. Eu, ingênuo, ri. Não era tão óbvio assim.